Vista de Osório do paradouro da Borússia

Chega o final do ano e a maioria dos balneários trata de melhorar serviços e infraestrutura e encaminhar eventos para o badalado Réveillon. Osório fica de fora deste círculo, uma vez que seus eventos, Rodeio, Tafona e Cidade Luz, estão por demais enfraquecidos por uma série de fatores, como menos recursos, falta de apoio local e desinteresse da população. O diagnóstico que podemos emitir a respeito deste quadro é de que simplesmente o turismo não decolou no município.
Antigas promessas como o teleférico e o hotel na BR 101 foram meros confetes ao vento, ao sabor da política e das campanhas eleitorais. Passado o período das vacas gordas, veio a crise, com força e detonando os sonhos de prefeitos outrora se esbaldando em projetos e programas que andavam ao sabor da bonança financeira. Hoje as dificuldades são grandes, um pouco amenizadas pela melhora que veio neste segundo semestre de 2018.
Mas voltando ao turismo em Osório, vemos o empresariado local sem investir em atrações, hotelaria, transporte, eventos e gastronomia. A toada continuou a mesma. Vem o verão e Osório é apenas uma passagem entre a Região Metropolitana e agitadas praias gaúchas e catarinenses.