Tressoldi e Scaini (dir.)

Quem vinha acompanhando os bastidores da política de Osório logo após a campanha a governador, sabia que algo viria do ninho tucano. Os acontecimentos desembocaram numa reunião realizada hoje pelo PSDB osoriense, com a discussão sobre o futuro do partido no município e a próxima eleição que ocorre em 2020.
O nome de Martim Tressoldi para prefeito surgiu ao natural, sem grande esforço. Hoje ele preside o Legislativo e tem sido crítico forte da administração municipal em alguns momentos, demonstrando que não está sendo um mero garoto de recados do PDT, partido do prefeito Eduardo Abrahão. O PP, do vice-prefeito Eduardo Renda e do secretário Rossano Teixeira, está enredado pela política que emana do gabinete de Abrahão, o que tem seus pontos negativos e positivos na atual conjuntura.
Coube ao PSDB, em razão das circunstâncias, fazer esta divulgação bastante antecipada de uma candidatura que só será oficializada em meados de 2020. Surge até o nome do candidato a vice-prefeito, o do empresário Eduardo Scaini. Os tucanos de Osório estão de bem com a vida. Novas filiações ao PSDB irão ocorrer, o que deve se confirmar no início do ano que vem.